Como abrir um negócio de dropshipping a partir de Portugal?

Já pensou em ter uma loja online com os seus produtos e não ter de se preocupar com a embalagem e expedição das encomendas para o cliente? Pois bem, o dropshipping permite-lhe vender produtos sem sequer os ter em stock. Este conceito de e-commerce pode parecer complexo, mas aqui vai poder ficar a saber o que é, como funciona, quais as vantagens e desvantagens e muito mais. Além disso, se pretende abrir um negócio de dropshipping em Portugal, está no sítio certo para recolher todas as informações necessárias.

O que significa “dropshipping”?

Dropshipping é uma técnica de gestão logística cada vez mais usada por lojas online. Este método permite a um revendedor tratar da venda normalmente através do seu site, deixando a gestão de stock e de expedição para o cliente nas mãos do dropshipper, que geralmente é um distribuidor, um fabricante ou até um retalhista. Isto significa que a loja online não teria de se preocupar com a fase de embalar e expedir os produtos, uma vez que essa função passaria para o armazenista.

É muito simples! Através desta técnica, a loja online não necessita de ter nenhum produto em stock. Isto quer dizer que o armazenista tem o papel de gerir e enviar os produtos vendidos pela loja online, sem que esta tenha de pagar os produtos previamente. Como a empresa só encomenda os produtos ao armazém depois da ordem de compra do cliente, evita assim qualquer risco de ficar com o produto em stock no caso de haver falta de compradores.

Quais são os custos deste serviço? É gratuito?

Claro que não é gratuito. Este tipo de serviço funciona em função de taxas que são cobradas para suportar as despesas de embalagem, de envio e o tratamento da informação. Geralmente, o custo inerente a este serviço varia entre os 2€ e os 5€, pelo que deve ter atenção relativamente a que produtos irá vender em regime de dropshipping.

Como funciona o dropshipping?

Para perceber melhor do que se trata o dropshipping, explicamos-lhe como funciona todo o processo. De um modo simples, vai poder entender qual a ligação que existe entre o vendedor, o fornecedor e o cliente final.

  1. Importação das listas de produtos dos fornecedores parceiros – Em primeiro lugar, os fornecedores devem atualizar as listas de produtos existentes com frequência. Este sistema permite que, quando o cliente faz uma compra, esse item seja removido automaticamente da lista;
  2. Realização do pedido na loja online por parte do cliente – O passo seguinte é o da compra por parte do cliente. Aqui, o consumidor final escolhe o produto que deseja, adiciona-o ao carrinho de compras da loja online e finaliza a compra;
  3. Envio da ordem de compra do vendedor para o fornecedor – De seguida, o fornecedor é notificado sobre a compra efetuada pelo cliente, tendo acesso aos seus dados pessoais, como a morada de entrega;
  4. Embalagem e exportação da entrega por parte do fornecedor – Finalmente, depois destes três passos, o fornecedor é o responsável por embalar o produto e entregar a encomenda ao cliente.

Como abrir um negócio de dropshipping? 

Se deseja abrir um negócio de dropshipping, a sua empresa deve estar corretamente constituída e registada. Só desta forma os dropshippers poderão fazer negócio consigo e, assim, confiar no seu trabalho. De seguida, vamos apresentar-lhe os passos que deve dar para abrir um negócio com serviço de dropshipping.

  1. Descobrir um mercado faminto – Se quer abrir um negócio de dropshipping, saiba que não tem de fabricar o produto que quer vender nem de o criar de raiz. Cabe-lhe a si descobrir um mercado em vias de crescimento, de forma a ter mais sucesso com o seu negócio. Tenha em mente que quanto maior for a exclusividade do produto, melhor! Nesta fase, deve contactar o fabricante do produto que quer vender.
  2. Montar uma loja online – Agora que já sabe que produto/produtos quer vender, tem de criar a sua marca e uma loja online. O primeiro passo nesta fase é registar um domínio. Para criar a sua loja online, existem imensos sites que fazem quase tudo por si.
  3. Procurar uma empresa de dropshipping confiável – Este ponto é muito importante no que toca ao desenho do seu negócio. Para encontrar dropshippers confiáveis, deve pesquisar bastante através do seu motor de busca na internet. Para saber mais, continue a ler o artigo.
  4. Escolher um serviço de hospedagem para a loja online – Para garantir a melhor segurança do seu website, recomenda-se que escolha um serviço de hospedagem para ele, como, por exemplo, o certificado SSL e o backup automático.
  5. Adicionar os produtos à loja online – Nesta fase, basta registar todos os produtos que pretende vender na sua loja online. O ideal é que adicione a lista de produtos do fornecedor à página de uma forma automática, sem necessidade de escrever tudo à mão e gastar recursos.
  6. Contratar um contabilista – Por fim, de modo a ter um negócio equilibrado e com pernas para andar, aconselha-se a contratação de um contabilista que possa gerir todo o dinheiro relacionado com o negócio.

Leia também: Os 5 Melhores Servidores Portugueses – Alojamento WordPress

Como escolher um dropshipper confiável?

Um dos maiores riscos de usar a técnica de dropshipping é que o vendedor não controla totalmente todo o processo. Isto significa que, quando um cliente efetua uma compra, o vendedor fica nas mãos do armazenista. Caso se escolha um dropshipper incompetente e irresponsável, a encomenda pode mesmo não ser entregue ao cliente. Nesse caso, a queixa é feita ao vendedor e não ao armazenista. 

Para assegurar que os seus produtos estão a ser entregues em condições de segurança e com competência, deve selecionar um armazenista confiável. Aqui vamos dar-lhe algumas dicas para que consiga fazer a melhor escolha.

  • Contactar o fabricante antes de escolher um dropshipper, de modo a descobrir quais são os armazenistas da região. As grandes marcas têm, por norma, dropshippers confiáveis;
  • Pesquisar profundamente diversos armazenistas através do seu motor de busca na internet;
  • Avaliar o armazenista não apenas pelo preço, mas através da análise de outras variáveis, como a qualidade do produto, o tempo de entrega e as taxas de importação;
  • Fazer uma encomenda na concorrência para obter a morada do dropshipper dessa empresa e, assim, identificar e analisar o método da marca concorrente;
  • Estar por dentro do assunto relativo ao seu produto, frequentando feiras e eventos da especialidade. Assim, poderá entrar em contacto com armazenistas e conseguir parcerias com grandes fabricantes.

Quais as vantagens e as desvantagens do dropshipping?

Caso esteja a pensar recorrer ao dropshipping, é normal que queira perceber quais são as vantagens e as desvantagens deste sistema. Assim, pode colocar os prós e os contras na balança e perceber o que mais lhe compensa. Vamos a isso!

Vantagens:

  • Redução nos custos de entrega;
  • Não necessita de investir em stock e aluguer de espaço para armazenar os produtos;
  • Isenção do trabalho de gestão logística, desde a fase de embalar até à entrega ao cliente;
  • Existe uma grande variedade de produtos que podem ser vendidos através de dropshipping;
  • Não há uma limitação geográfica, basta que o fornecedor envie para determinado lugar.

Desvantagens:

  • Falta de controlo no serviço prestado ao cliente, bem como relativamente ao stock e à qualidade do produto;
  • A margem de lucro acaba por ser muito baixa;
  • Levanta problemas com devoluções e com reembolsos;
  • Não é criada uma relação com os clientes;
  • Costuma haver muitas reclamações no que diz respeito ao estado das encomendas

Quais são os riscos do dropshipping?

Apesar das valiosas vantagens que o dropshipping apresenta, existem também vários riscos aos quais deve prestar atenção. Para se prevenir de alguns, deve seguir as dicas que demos sobre escolher um armazenista confiável. De qualquer modo, não é possível proteger-se contra todos os riscos, mas vale sempre a pena saber quais é que existem.

Por exemplo, caso um cliente cancele uma encomenda que já tenha sido paga ao seu fornecedor, a sua empresa pode não ir a tempo de cancelar efetivamente a encomenda, o que pode envolver custos relacionados com a devolução do produto e com o tempo despendido em acompanhar o cliente nesse processo.

Outros exemplos de riscos que pode estar a correr quando recorre ao dropshipping é que pode haver atrasos nos envios dos produtos ou mesmo que as encomendas cheguem ao consumidor final danificadas. Pode também acontecer que o cliente encomende um produto que afinal o seu fornecedor não tem em stock.

O que mais deve fixar na sua mente ao escolher um serviço de dropshipping é que, independentemente do que corra mal com a encomenda, a responsabilidade é sempre do vendedor e não do dropshipper, pelo que é a sua imagem que é afetada e não a do distribuidor da sua encomenda.

Esperamos ter esclarecido as suas dúvidas. Durante os últimos anos tem havido uma grande reinvenção nos modelos de e-commerce, sendo que hoje em dia já é possível vender produtos sem sequer os ter em stock. Como? Como já sabe, a resposta é o dropshipping!

Veja Também:

Deixe um comentário